Sinais do vigor da rádio – cá e no Brasil

São múltiplos e permanentes os sinais da vitalidade do meio rádio. Vejamos alguns relativos a acontecimentos que têm lugar por estes dias:

Hoje mesmo foi anunciado entre nós o III R@adio em Congresso, uma iniciativa que decorrerá no dia 26 deste mês no ISCSP (Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas), em Lisboa. Nesta terceira edição, Nesta III edição, vários profissionais vão discutir futuro(s) modelo(s) de negócio da música e da rádio em Portugal.
Do outro lado do oceano,é manhã apresentado, na Universidade de Fortaleza, o Portal do Rádio, um site académico que “reúne informações em texto, áudio e vídeo sobre a radiofonia”. A iniciativa é do Grupo de Pesquisa Rádio e Mídia Sonora da Intercom (que está a realizar por estes dias o seu congresso anual precisamente naquela cidade brasileira) e surge associado à evocação dos 90 anos da primeira transmissão oficial de rádio no Brasil.
O site fica hospedado na Universidade Federal da Bahia (UFBA), tendo o conteúdo sido produzido pelos pesquisadores do Grupo dePesquisa. Segundo a coordenadora, professora Nair Prata, “a ideia é que o Portal seja uma referência em radiofonia no país, pois todas as informações que interessam a pesquisadores, professores e estudantes estarão lá”. A professora lembra, no entanto, que é apenas o primeiro passo, “pois o site ficará aberto a contribuições permanentes, de modo que esteja sempre atualizado”.
O mesmo Grupo, de resto, apresentou ontem, também no contexto do 35º Congresso da Intercom, a Enciclopédia do Rádio Esportivo Brasileiro, um livro que biografa os 231 mais destacados radialistas desportivos de todos os Estados do país. O livro, organizado pelas jornalistas e professoras mineiras Nair Prata (UFOP) e Maria Cláudia Santos, tem prefácio do presidente da Intercom, Antonio Hohlfeldt. O trabalho é mais uma investigação coletiva do Grupo de Pesquisa Rádio e Mídia Sonora da Intercom e conta com a colaboração de 121 autores. Segundo a professora Nair, “o livro nasceu da necessidade de se contar a história de uma das facetas mais ricas e mais populares da radiofonia, a programação esportiva, mas não de uma forma linear. Buscamos contar essa história por meio da recuperação da trajetória dos personagens que a construíram”.

Manuel Pinto

Anúncios

A Rádio na frequência da Web

Está já disponível o vol.20 (2011) da revista Comunicação e Sociedade, recolhendo textos em torno do futuro da rádio em ambiente digital.
Madalena Oliveira e Pedro Portela, os organizadores deste número, dizem no seu texto de apresentação:
Repensar a rádio no actual contexto de uma sociedade digital, ou mais especificamente no contexto da web, impõe que se repense a sua relação com a imagem, mas também, de um modo mais generalizado, os termos do seu contrato de escuta. Se é verdade que a emissão tradicional se mantém de alguma maneira na web – que nessa medida é apenas um novo dispositivo de escuta, um novo receptor do sinal radiofónico -, também o é que a oferta associada aos sítios das emissoras na Internet exige uma redefinição da sua relação com os ouvintes.
Mais detalhes aqui (esclarecimentos e encomendas através deste endereço)

Exposição assinala a história da radiodifusão

ImagemO Museu de Artes e Ofícios de Paris acolhe a partir de 28 de fevereiro a exposição «Radio: ouvrez grand vos oreilles!», que lembrará a história da radiodifusão. Resultando de uma parceria entre a Radio France e o INA (Institut National de l?Audiovisuel), esta exposição reunirá objetos, documentos e arquivos sonoros. No site do museu faz-se já nesta apresentação a honra a este grande meio – o mais discreto de todos, mas aquele que durante muito tempo terá sido o preferido dos franceses… e talvez de todos nós:

«Universo fascinante, ela [a rádio] formou, bem antes da Internet, uma formidável porta de entrada para o mundo inteiro, permitindo captar sons, músicas e vozes não importa de que parte do planeta.»