Marcas do tempo que passa

Talvez por falta de outros motivos para celebrar, 2012 tem vindo a revelar-se um ano cheio de aniversários que as marcas comemoram com maior ou menor criatividade.

 As marcas acompanham-nos ao longo do tempo vivendo connosco cada momento. Lá fora, tal como cá, este ano marca o aniversário de algumas bastante emblemáticas com campanhas que prometem deixar também a sua marca. É o caso, por exemplo da centenária bolacha Oreo, do rum Bacardi, que celebra 150 anos, ou do Motel 6, com um filme que demonstra bem a passagem do tempo, incluindo o preço de uma noite que há 50 anos custava 6 dólares e agora ronda os 40.

Por cá, festejamos os 75 anos da Renascença com diversas iniciativas, incluindo partilha de histórias de vida dos ouvintes e uma emissão sobre rodas, num autocarro pelas ruas da capital e uma descentralização até ao café Vianna, em Braga, e os 60 da Compal, com um novo eixo estratégico que “Podia ser magia, agronomia ou ideologia. Mas falamos de Frutologia!”,

incluindo a alentejana “Amêcha Rainhã Cláudiã”, primeira de uma série de edições limitadas para coleccionar e celebrar fruta portuguesa com espírito positivo, já que “Nesta altura que só se fala de crise, nem que seja apenas nos blocos publicitários, queremos que haja um raio de sol”, explicou Miguel Garcia, diretor de divisão de negócio de nutrição da Sumol-Compal ao Dinheiro Vivo.

Festejemos, portanto.