Blogues e democracia: o negócio da China

Restam poucas dúvidas (se é que as há) que a internet, sobretudo depois da Web 2.0, pode potencialmente promover a democracia porque permite uma disseminação da informação, promove o escrutínio e facilita o debate. Neste campo, a blogosfera encerra particularidades importantes, como o seu carácter deliberativo, facilidade de tracear a informação e de arquivar dados e ideias, com todo o poder subversivo que isto pode significar. Nada de espantar, por isso, que o governo chinês esteja de olho nos bloggers do seu País.