A centralidade da TV e dos jornais

Um aspecto, aparentemente em contra-ciclo, evidenciado pelas legislativas deste ano e que não vi muito sublinhado: a centralidade que na campanha conquistaram a televisão e os jornais. A TV com os frente-a-frente entre líderes partidários e, sobretudo, com “Esmiuça o sufrágio” dos Gato Fedorento; e os jornais – o Público e o Diário de Notícias, sobretudo – com o caso das putativas escutas.
E curiosamente é a luta política o ingrediente e motor deste protagonismo destes media “clássicos”.