A PT, A TVI e o futuro da televisão portuguesa

Antes do lançamento dos concursos para a TV digital terrestre, a Autoridade da Concorrência emitiu um parecer que impedia que as empresas que possuíssem mais de 50% de alguma plataforma de televisão pudessem pleitear as licenças.

Com o spin-off da PT Multimédia (que detinha a TV Cabo), hoje Zon Multimédia, a PT credenciou-se para os concursos, dos quais foi a campeã, recebendo as concessões para transmitir os sinais dos canais generalistas e também para gerir conteúdos e distribuir os canais pagos da TV digital, que entrarão em operação nos próximos anos.

Agora a PT avança com uma proposta para comprar 30% do grupo proprietário da TVI.

Cabe lembrar que a PT, hoje, dois anos após o spin-off da PTM, possui serviços de TV por satélite, IPTV, as concessões da TDT, está a implementar uma rede de fibra óptica (que poderá fomentar o surgimento de mais um serviço de TV por subscrição) e pretende ter parte da TVI, o canal generalista com maior audiência.

Estamos a assistir a formação de um futuro monopólio da televisão comercial?