Lydia Cacho Ribeiro: um testemunho

Recusa colocar-se como vítima ou como mártir. Tem sido uma lutadora contra a corrupção e a repressão no México, o seu país. Foi torturada e presa por publicar a história de uma rede de políticos, envolvidos em crime organizado relacionado com pornografia infantil e turismo sexual. Pergunta-se: “Vi-me confrontada com uma questão que permanece: continuar?”
Lydia Cacho Ribeiro, jornalista de investigação, viu ser-lhe atribuído o UNESCO/Guillermo Cano World Press Freedom Prize 2008. No recente The Global forum on Freedom of Expression, que teve lugar em Oslo, pôde apresentar o seu testemunho, que o European Journalism Center publicou.