Moura Guedes e Marinho Pinto: quando a TV é a notícia

Manuela M GuedesMarinho Pinto

Os comentários que, de imediato, surgiram ao ‘espectáculo’ no Jornal Nacional de Manuela Moura Guedes, da TVI, referem o óbvio: que Marinho Pinto disse à pivot aquilo que “toda a gente” gostaria há muito de lhe ter dito.
Aquele tipo de jornal televisivo não é seguramente dos que eu prefiro. O estilo de Moura Guedes chega a ser degradante e aviltante. Mas daí a fazer do bastonário da Ordem dos Advogados uma espécie de vigário do povo (esclarecido) junto da TVI vai uma grande distância.
Em primeiro lugar, Marinho Pinto tornou-se parte do espectáculo de Moura Guedes. E ela, nesse ponto, sabia o que estava a fazer. Talvez não esperasse apanhar a surra pública (restando saber se o sovador não terá ido ao ponto de ter despertado pena pela vítima), mas via-se-lhe no olhar uma espécie de ambivalência entre o que ganhava para o canal e perdia para si mesma.
Uma coisa este caso demonstrou:  que a televisão é cada vez mais ela própria a notícia.

Montando o seu show ou sendo surpreendida por ele, num dispositivo ele próprio orientado ao espectáculo, a TV prescinde progressivamente da realidade que era suposto reportar, para se mostrar a si mesma e a si mesma se dar como assunto à degustação do povo,  em doses mais ou menos fortes de emoção.

O vídeo (trecho final): http://www.youtube.com/watch?v=_LpY3Y1Cq_c
O que se vai escrevendo pela blogosfera:

9 thoughts on “Moura Guedes e Marinho Pinto: quando a TV é a notícia

  1. Obrigado Marinho Pinto ,

    Façam com eu ,enviem um mail para a Prisa ( accionista da Tvi ) mostrando a vossa indignação pelo facto de permitirem
    que esta senhora faça de um jornal nacional um autentico circo .

    proveedores@prisa.es

    comunicacion@prisa.es

    ia@prisa.es

    Eles deveriam de receber centenas de mails , porque só assim pode-mos retirar aquela senhora da Antena .

  2. É lamentável que alguns meios de comunicação manipulem ou queiram manipular factos reais e do domínio público.
    Foi um triste e lamentável episódio, aquele que assistimos no debate entre uma jornalista que devia ser mais isenta e o Bastonário da Ordem dos Advogados.
    Parabéns ao Dr. Marinho Pinto pela postura digna que manteve no debate, e um grande bem haja para pessoas como ele, pois vivemos numa ditadura camuflada e só não vê quem não quer.
    Parabéns Dr. Marinho Pinto.

  3. “Em nome da transparência”

    António Marinho Pinto é mais do que apenas o bastonário da Ordem dos Advogados. Este homem do norte é polémico quanto baste, porque não dizer provocador. No entanto, é um combatente de causas que chama “os bois pelo nome”. É frontal, intrépido, solidário, talvez o último dos românticos que tenta colocar a justiça num patamar a que todas as classes sociais acedam. Fundamentalmente, aquilo que uma verdadeira política de esquerda deveria preencher. Pôs em sentido a magistratura portuguesa fazendo uma clara distinção de tarefas: incompatibilidade entre a advocacia e a política, ou seja, não pode continuar a haver manigâncias entre o poder político legislativo e a profissão de advogado. Denunciou aquilo que todos sabemos – o país tem o triplo dos advogados que necessita. Precisamos de pessoas deste calibre, de sólidos princípios, que deixem os tiques de superioridade e passem a estar junto do povo, dos injustiçados. Isto é o que se chama um Estado de Direito.

  4. Pingback: Clube de Jornalistas » Jornal de Sexta da TVI bate recorde de audiências

  5. Pingback: ciberesfera » Blog Archive » #MMGvsMP

  6. É lamentavel o silencio do sindicato dos jornalista face a este caso!!?? se a jornalista fosse a fernanda cãncio, decerto que ja teriam emitido mais um Manifesto Politico, como sucedeu na ultima vez!

  7. A jornalista faz explicitamente o que muitos jornalistas fazem discretamente. O jornalismo estava nu e a Internet veio mostrar isso. Estamos num importante momento para que os “mediadores da informação” coloquem a mão na consciência e façam um bom jornalismo, pois, assim como sempre fizeram com todas as instituições (e até com as pessoas) eles também estão a ser vigiados e qualquer manipulação intencional corre o risco de ser desmascarada.

Os comentários estão fechados.