Moura Guedes e Marinho Pinto: quando a TV é a notícia

Manuela M GuedesMarinho Pinto

Os comentários que, de imediato, surgiram ao ‘espectáculo’ no Jornal Nacional de Manuela Moura Guedes, da TVI, referem o óbvio: que Marinho Pinto disse à pivot aquilo que “toda a gente” gostaria há muito de lhe ter dito.
Aquele tipo de jornal televisivo não é seguramente dos que eu prefiro. O estilo de Moura Guedes chega a ser degradante e aviltante. Mas daí a fazer do bastonário da Ordem dos Advogados uma espécie de vigário do povo (esclarecido) junto da TVI vai uma grande distância.
Em primeiro lugar, Marinho Pinto tornou-se parte do espectáculo de Moura Guedes. E ela, nesse ponto, sabia o que estava a fazer. Talvez não esperasse apanhar a surra pública (restando saber se o sovador não terá ido ao ponto de ter despertado pena pela vítima), mas via-se-lhe no olhar uma espécie de ambivalência entre o que ganhava para o canal e perdia para si mesma.
Uma coisa este caso demonstrou:  que a televisão é cada vez mais ela própria a notícia.

Montando o seu show ou sendo surpreendida por ele, num dispositivo ele próprio orientado ao espectáculo, a TV prescinde progressivamente da realidade que era suposto reportar, para se mostrar a si mesma e a si mesma se dar como assunto à degustação do povo,  em doses mais ou menos fortes de emoção.

O vídeo (trecho final): http://www.youtube.com/watch?v=_LpY3Y1Cq_c
O que se vai escrevendo pela blogosfera: