Pressões fortes vs. indícios fortes

As pressões exercidas sobre um magistrado podem, em termos abstractos, irindiciosFortes indícios de inexistentes a fortes ou fortíssimas.  Quando tais pressões decorrem, como será de supor,  nos bastidores e no segredo, os respectivos indícios podem ser igualmente, em abstracto, fracos ou fortes. Mas são duas realidades distintas.

Por isso é que uma coisa é dizer, como escreve o Público, que

Houve indícios suficientemente fortes de pressões sobre os magistrados que investigam o processo Freeport por parte do presidente do Eurojust, o procurador-geral adjunto Lopes da Mota, concluiu o inspector responsável pela realização do inquérito, Vítor Santos Silva.

… e outra coisa colocar em título, na primeira página e na peça de destaque da pág.2:

“Indícios de fortes pressões levam a processo disciplinar”

Miudezas?

One thought on “Pressões fortes vs. indícios fortes

  1. Indícios ou pressões, fortes ou fracas venham de lá. Para quem goza das mais altas garantias de protecção do estado, veja-se o art.78 do ESTATUTO DO MINISTÉRIO PÚBLICO.

    Artigo 78.°
    Estabilidade

    Os magistrados do Ministério Público não podem ser transferidos, suspensos, promovidos, aposentados, demitidos ou, por qualquer forma, mudados de situação senão nos casos previstos nesta lei.

    Se mesmo com um estatuto destes as pessoas nestas posições não oferecem garantias de possuírem uma formação e resistência psicológica que as torne imune às pressões, então está tudo dito sobre o estado da Justiça em Portugal.

Os comentários estão fechados.