João Mesquita, 1957-2009

Morreu o João Mesquita. Uma excelente pessoa e um grande jornalista, nem sempre compreendido ou acompanhado como merecia  (mesmo por alguns que, nestes dias, lhe prestarão homenagem…). Conhecia-o há muitos anos, trabalhei com ele de perto em vários sítios. Foi meu camarada de profissão, em todo o sentido do termo, e foi “meu” presidente no Sindicato dos Jornalistas. A ele se deve, por exemplo, a célebre iniciativa que culminou com o referendo aos jornalistas portugueses sobre a aceitação ou não de uma Ordem Profissional (a votação foi esmagadoramente contra). Ele podia e devia ter tido mais oportunidades para trabalhar na chamada grande imprensa, de onde ‘desapareceu’ ainda muito novo (e se calhar não por vontade própria). Aliás, morreu muito novo, 51 anos apenas. Tal como outros camaradas de profissão, também eu estive com ele pela última vez em Maio de 2008, no funeral de outro grande amigo e jornalista, o Torcato Sepúlveda. Estive com ele aqui, em Braga, onde ele quis deslocar-se, desde Lisboa, para acompanhar o Torcato mesmo até casa. Ironia do destino, foi aqui, precisamente nesse dia triste, que me disseram que o João estava  doente: um cancro muito complicado. Lembro-me bem do abraço cúmplice que trocámos e de como ele me disse que era uma chatice agora quase só nos encontrarmos nos funerais dos amigos, quem seria o próximo… Começam a ser muitos, e isso dói.

Se alguém quiser conhecer um pouco melhor o João Mesquita, pode ler este texto do Sindicato dos Jornalistas, esta entrevista muito completa e aprofundada, ou os depoimentos do Henrique Monteiro (“Expresso”) e do José Manuel Fernandes (“Público”) .

Um grande abraço ao João — e obrigado por tudo o que nos deu.

Anúncios