TVI 24 nasce hoje

Às 21 horas de hoje, aparece um novo canal temático de informação.  Trata-se de um projecto alternativo ou de um clone da SIC Notícias ou da RTPN? Abrimos aqui espaço para o debate.

Europa em reflexão

O Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho, em parceria com a representação da Comissão Europeia em Portugal e o Gabinete em Portugal do Parlamento Europeu organizam, amanhã e sábado, em Braga uma acção de formação uma acção de formação para jornalistas do Norte do país – com especial incidência nos meios de comunicação regionais e locais –, tendo em vista a realização, em 2009, de eleições para o Parlamento Europeu. No âmbito do tema em análise, o seminário dedicará três sessões a questões institucionais (1. Background histórico: o papel do Parlamento Europeu na construção de uma Europa democrática; 2. O Parlamento Europeu no quadro institucional: o processo de decisão na União Europeia; 3. O futuro da União Europeia); duas sessões a questões políticas (1. As políticas europeias mais relevantes para a Região Norte; 2. Portugal na EU: impactos e perspectivas); e duas sessões a questões dos media (1. O papel dos media nas questões europeias; 2. A especificidade das eleições para o PE: o desafio da participação). Entre os conferencistas, participam os académicos Ana Paula Brandão, Isabel Estrada e José Palmeira; os jornalistas José Alberto Lemos e Joaquim Vieira; o responsável pelo Centro de Avaliação de Políticas e Estudos Regionais da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte, Rui Monteiro; e os eurodeputados Francisco Assis  e (PS)José Silva Peneda (PSD). A sessão de abertura conta com as presenças de Margarida Marques, Chefe da Representação da Comissão Europeia em Portugal; Paulo de Almeida Sande, Director do Gabinete em Portugal do Parlamento Europeu; Manuel Pinto, Director do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (CECS) da Universidade do Minho e de Joaquim Fidalgo, Director-adjunto do Departamento de Ciências da Comunicação da Universidade do Minho.

Virá com uma parra?

Sobre a carnavalesca cena que teve lugar no passado fim-de-semana em Braga…

“Três polícias para quatro livros dá uma ideia da perigosidade dos volumes (e do realismo em arte), e só se estranha que não tenha sido chamado o Grupo de Operações Especiais, até porque uma mulher de sexo à vista é coisa mais perigosa do que um assaltante de cara tapada e espingarda de canos serrados na mão.
A boa notícia é que a PSP de Braga não tem falta de efectivos e não poupa neles quando, como explicou o subintendente Henrique Almeida, se trata de “evitar desacatos”, pois os livros estariam a atrair a atenção das crianças que andavam pela Feira com os pais, e a PSP de Braga, quando há “desacatos”, não actua sobre os “desacatadores”, actua sobre o que está quedo e não lhe oferece resistência, no caso os suspeitos do costume, livros.

A PSP terá decidido entretanto devolver o corpo do delito. Virá com uma parra?

Manuel António Pina, Jornal de Notícias