Carta de um jornalista assassinado

Lasantha Wickramatunga, de 52 anos, era editor e repórter do jornal Sunday Leader, do Sri Lanka, e crítico da conduta do governo na luta contra os separatistas Tamil. Faz hoje oito dias foi assassinado na rua por dois atiradores que se fazim transportar em motos.

Prevendo este desfecho, deixou uma carta para ser divulgada depois da sua morte. A revista The New Yorker traz o texto, sob o título Letter from the Grave. Vale a pena ser lido. Deixo o primeiro parágrafo:

“No other profession calls on its practitioners to lay down their lives for their art save the armed forces and, in Sri Lanka, journalism. In the course of the past few years, the independent media have increasingly come under attack. Electronic and print-media institutions have been burnt, bombed, sealed and coerced. Countless journalists have been harassed, threatened and killed. It has been my honor to belong to all those categories and now especially the last.”

One thought on “Carta de um jornalista assassinado

  1. Pingback: Fique por dentro Atiradores » Blog Archive » Carta de um jornalista assassinado « Jornalismo e Comunicação

Os comentários estão fechados.