Complexidades do jornalismo: um caso com The Guardian

No próximo número de “The New York Review of Books” vem publicado um texto do director do diário Guardian que deveria ser lido e debatido em todas as redacções, bem como nas escolas de formação de jornalistas.

A peça de Alan Rusbridger, intitulado “A Chill on ‘The Guardian’“, refere-se a um embróglio em que o jornal se viu metido desde a Primavera deste ano, depois de uma investigação jornalística sobre alegadas estratégias do grupo multinacional de alimentação Tesco de fuga aos impostos. Os trabalhos jornalísticos publicados viriam a revelar-se incorrectos em vários aspectos significativos, apesar de os jornalistas envolvidos serem especialmente especializados e credenciados.  O jornal pediu desculpas públicas por duas vezes, mas isso não impediu o grupo de ter insistido em accionar um pesado processo judicial por difamação que, depois de muitas peripécias e gastos astronómicos em advogados, consultadorias e diligências super-especializadas, até acabou em bem para o jornal.

O caso é interessante por vários motivos:

– a alta complexidade dos hiper-poderes e das engenharias financeiras a que deitam mão, fora do alcance da maior parte dos jornalistas, mesmo especializados;

– o tempo e dinheiro que um meio de comunicação terá de gastar para investigar e dar conta ao público daquilo que, de outra forma, permanecerá na sombra;

– os riscos que corre quem se atreve a trilhar esses caminhos, incluindo o de afrontar múltiplas equipas de poderosos consultórios de advogados e de consultadoria financeira (e a correlativa falta de accountability com que podem contar os protagonistas desses poderes);

– A natureza e alcance das leis relativas à difamação, variáveis de país para país, dando umas mais chances ao trabalho dos jornalistas e outras mais aos que se acham vítimas daqueles;

O caso de The Guardian foi desencadeado antes da emergência da presente crise, que tem fustigado de modo particular o Reino Unido. Imagine-se a dificuldade de cobrir os meandros, natureza e alcance da crise!

Texto de apoio: Tambini, D. (2008) “What is Financial Journalism for ? Ethics and Responsibility in a time of Crisis and Change: A Polis Report”, London School of Economics