Jornalistas presos: online já lidera

Alguns indicadores de tendências revelam que. em várias partes do mundo, os debates sobre quem é ou não é jornalista é secundário face àqueloutro sobre quem se atreve a dar notícias e publicar comentários de interesse público que desagradam aos poderes instalados.

Os dados divulgados no início deste mês pelo Committee to Protect Journalists indicam que, pela primeira vez, o número de “jornalistas” online presos (56) por delito de opinião e informação ultrapassou o de qualquer outro meio (53 os de imprensa, seguidos a grande distância pelos de outros meios).
A China continua a liderar nesta tabela, acompanhada por países como Cuba, Burma, Eritreia e Uzebequistão.

Anúncios