Querer saber e querer ignorar

“Têm-se infelizmente esquecido algumas preciosas lições de Freud sobre o papel decisivo que a cegueira tem na vida psíquica da humanidade, sobre a ambivalência estrutural entre dois pólos, o de querer saber e o de querer ignorar, que caracteriza o ser humano. E são muitas as situações, nos mais variados planos da vida, em que a eficácia da conduta humana depende justamente da cegueira em que ela assenta”.

Manuel Maria Carrilho, Diário de Notícias, 27.12.2008

Anúncios