Conhecida avaliação dos centros de pesquisa em comunicação

A Fundação para a Ciência e Tecnologia acaba de divulgar os resultados da avaliação externa feita aos centros de investigação da área de Ciências da Comunicação. A ordenação ficou assim estabelecida:

Excellent:
CECS – Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade (Universidade do Minho)

Very Good:
– Labcom – Laboratório de Comunicação e Conteúdos On-line (Universidade da Beia Interior)
– CIMJ – Centro de Investigação Media e Jornalismo

Fair:
– CECL – Centro de Estudos de Comunicação e Linguagens (Universidade Nova de Lisboa)*
– CETAC.MEDIA – Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação (Universidade do Porto e Universidade de Aveiro)*
– CICANT . Centro de Investigação em Comunicação Aplicada, Cultura e Novas Tecnologias (Universidade Lusófona)*.

*Segundo o site da FCT estas três últimas unidades anunciaram a intenção de solicitar uma reavaliação.
O painel de investigadores foi constituído por Peter Golding (Univ. Loughborough, UK), Cees Hamelink (Univ. Amsterdão) e Else de Bens (Univ. Gent, Bélgica).

ACTUALIZAÇÃO (19/12):

Corrigi, neste post, as designações de cada uma das classificações, passando a utilizar aquelas que a FCT utiliza. Questionaram-me a propósito da tradução de “Fair” para português e pareceu-me justo o reparo.
Há quem entenda que não deveria ter sido divulgada a classificação dos três centros de investigação que solicitaram reavaliação. Discordo. Primeiro porque a avaliação existe e foi comunicada aos centros e toda a comunidade científica a conhece (e em alguns casos solidarizou-se com os que foram objecto de tal classificação). Segundo, porque, se se divulga que os afectados recorreram da avaliação, é porque esta existiu. E se, porventura, ela é considerada uma injustiça, não é importante conhecê-la?
Finalmente, porque o conhecimento do que se passou me parece mais transparente do que o silêncio. Afinal, enquanto docentes que avaliam os alunos e os colegas, é assim que procedemos. Não vejo, por isso, onde possa estar a falta de ética, de que me acusa um comentário neste post.

Anúncios

Media Re-public – série de trabalhos

Há cerca de três anos, o Berkman Center for Internet & Society, da Universidade de Harvard, publicou um trabalho que viria a ter um impacto significativo nas leituras que se fizeram/fazem do relacionamento entre o jornalismo e os blogs.
Agora, dando seguimento a um projecto sustentado, disponibiliza – mesmo a tempo das leituras de Natal – uma série de contributos, sob a designação genérica “Media Re:Public – News and Information as Digital Media Come of Age“.
Há uma introdução, discutem-se temáticas específicas – informação internacional, princípios para uma nova literacia mediática, serviço público e assuntos públicos, média digital, democracia e diversidade, média tradicionais e a esfera pública em rede, editores-o melhors está para vir? – e apresentam-se três estudos de caso.
Escreve-se na nota de apresentação: “This inclusive conversation should aim to build on the best from all areas — the energy of participatory media and the expertise of professional journalists, the competitive drive of commercial media and the commitment to excellence of public broadcasters, the dedication and deep knowledge of community organizations and advocacy groups and the interests and energy of the public. The Media Re:public project’s research process benefited from a large and varied group of contributors, authors, and interlocutors.”

[Post parcialmente replicado a partir deste]