“Mais cedo ou mais tarde”

José Manuel Paquete de Oliveira reconhece hoje, na sua coluna no JN, algo que partilho e que andava há tempos para referenciar:

Em “Mais cedo ou mais tarde“, programa conduzido sobre o lema ‘porque há sempre outras ideias e outras pessoas que podiam ser notícia’, João Paulo Meneses, com uma serenidade impressionante e um olhar de grande pesquisador social, traz ao programa actores e autores nos mais diferentes campos das múltiplas actividades que compõem e, afinal, constroem a vida de um povo. Normalmente, os seus entrevistados são gente social e politicamente desapercebida. Falam e contam sobre as coisas que fazem com uma enorme simplicidade. Quase parece pedirem desculpa de estar a fazer o que fazem. Ali emergem cidadãos deste país que, no silêncio das suas funções ou no anonimato das suas profissões, contribuem de modo concreto para que o país não se “afogue” de vez na crise que o devora. Nunca falei com o jornalista João Paulo Meneses. Mas ouço muitas vezes o seu ‘Mais tarde ou mais cedo’ e penso que a filosofia do programa é psicologicamente combater a crise que, acima de tudo, é social, motivacional”.

Descobrir coisas boas“, Jornal de Notícias, 11.12.2008

Vou mais longe: em “Mais cedo ou mais tarde”, abordam-se, com frequência, assuntos que os media  tomam como se fossem menores para as pessoas. E a prova disso é que, quando os abordam, remetem-nos para horários (ou para páginas) de segunda categoria (como de resto ocorre com o programa de João Paulo Meneses, na TSF).

E em tempos em que se vêem outras parcerias, não seria de aproveitar – por exemplo, num jornal – as entrevistas que “Mais cedo ou mais tarde” faz?

3 thoughts on ““Mais cedo ou mais tarde”

  1. Concordo com Paquete de Oliveira e Manuel Pinto.
    É um excelente programa.
    Às vezes sinto um bocadinho de inveja do JPM, porque acho que dinamiza um programa de sonho! Chego a pensar “o que ele aprende naquele programa!”. Felizmente, posso ouvi-lo algumas vezes e aprender também.

  2. Realmente há dias felizes.
    Agradeço emocionado as vossas palavras, de Paquete de Oliveira ao Manuel Pinto, passando pelos comentadores.
    E, já agora, aproveito para informar que o juri na Universidade de Vigo (com os nossos bem conhecidos Paula Cordeiro e Eduardo Medistch) foi generoso!
    Obrigado

Os comentários estão fechados.