SIC e TF1 em estudo editado pela Harmattan

Nem de propósito: no momento em que a SIC emite “O momento da verdade”, a editora francesa Harmattan acaba de editar um estudo sobre a encenação televisiva da vida privada e íntima, através de programas como reality-shows e talk-shows, ou, nas palavras da autora, sobre “a questão da intimidade e da sua devassa nos media”.

O livro intitula-se “Regards Croisés sur ‘l’Intime-Quotidien’ en France et au Portugal – Le Cas de TF1 et de SIC“. Elisabeth Machado-Macellin, licenciada em Comunicação Social pela Universidade do Minho (UM), dá aqui a conhecer a um público mais vasto o principal da sua tese de doutoramento apresentada na Sorbonne, em finais de 2005.

Num texto publicado na revista do Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da UM (Comunicação e Sociedade, vol. 12, 2007), a autora apresenta uma súmula do estudo desenvolvido:

No âmbito deste trabalho, pretendeu-se identificar as condições de emergência, os dispositivos e os tópicos do que chamamos o “íntimo-quotidiano” na televisão francesa, no caso da TF1 e na televisão portuguesa, no caso da SIC. Ao adoptar uma perspectiva diacrónica (1986-2000, para a TF1, 1992-2000, para a SIC) e transcultural, foi-nos possível observar como a vida privada do cidadão comum se expõe e como é codificada. Através de uma análise comparada, o nosso propósito foi o de identificar os desvios semióticos e os aspectos convergentes nessa exposição, assim como o de verificar se as representações e os discursos diferem entre as duas estações. Num mundo cada vez mais globalizado, tentámos apreender as nuances e os graus de pudor e de impudor que caracterizam estes dois universos audiovisuais.

Anúncios