Notas mínimas de acesso: subida geral

Acabam de ser conhecidas as notas com que, este ano, entraram no Ensino Superior os últimos classificados. Os dez cursos com classificações de acesso mais elevadas são os seguintes (apenas cursos de Ciências da Comunicação e Jornalismo):

  1. Univ. Nova Lisboa – 16,75
  2. Univ. do Minho – 16,28
  3. Univ. do Porto – 16,00
  4. ISCSP-UTL- 15,55
  5. ESCS-IPL –  15,55
  6. Univ. Coimbra – 15,30
  7. ESE-IPCoimbra – 15,24
  8. Univ. do Algarve – 13,77
  9. Univ Beira Interior – 13,44
  10. Univ. T.AltoDouro – 13,12

Três observações se impõem de imediato: a primeira é uma alteração sensível da posição relativa dos cursos; a segunda é a verificação de que se regista, no geral, mas, em especial nos dez dez cursos melhor mais bem posicionados uma subida da nota mínima; a terceira é que pela primeira vez, ao que julgamos, um curso de fora de Lisboa e do Porto entra para a lista dos três primeiros lugares.

Importa ter em conta que, se se incluísse outros cursos de áreas normalmente incluídas nas Ciências da Comunicação, como Relações Públicas, Publicidade, Comunicação Multimédia, etc, pelo menos os últimos quatro cursos indicados desapareceriam desta lista.

A título comparativo, ficam aqui as posições dos “dez mais” do ano passado:

  1. Univ. Nova Lisboa – 16,50
  2. Univ. Porto – 16,16
  3. ESCS-IPL – 15,35
  4. ESE-IPCoimbra (Multimédia) – 15,34
  5. Univ. Minho – 15,22
  6. ISCSP-UTL – 15,05
  7. ESE-IPL (Com. Social) – 14,91
  8. Univ. Coimbra – 13,73
  9. UTAD – 13,24
  10. U. Algarve – 13,04

Para uma visualização da evolução das posições relativas dos vários cursos de jornalismo e ciências da comunicação, sugiro a visita ao Ponto Media que, como é já tradicional, publica um trabalho sobre este assunto.

Anúncios

3 thoughts on “Notas mínimas de acesso: subida geral

  1. Permita-me, caro Dr. Manuel Pinto, um regresso ao passado. As notas de acesso ao “nosso” curso nos idos 94, 95 e 96 rondavam a actual (não existem, infelizmente, dados oficiais relativos a esses anos). Vários factores (aos quais a conjuntura estará intrinsecamente associada) levaram a estas variações (algumas, drásticas) anuais. As oscilações que o gráfico de António Granado revela serão mais facilmente explicáveis pela sociologia política que pela política vigente. Apraz-me, em absoluto, saber que o curso volta a estar no topo das opções. Um reconhecimento de qualidade, talvez.
    Abraço

  2. No post escreveu, seguramente por erro, «melhor posicionados», quando o português correcto seria «mais bem posicionados». De facto, como é evidente que sabe, «melhor» é superlativo de «mais bom» e não de «mais bem».

Os comentários estão fechados.