Jarvis já está em aulas

Jeff Jarvis já começou as aulas de Jornalismo Interactivo e, da primeira aula, deixou-nos partilhar o powerpoint que utilizou:

Anúncios

Candidaturas ao mestrado de C. Comunicação

Estão abertas até 12 de Setembro as candidaturas ao curso de mestrado de Ciências da Comunicação, no Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho. As áreas de especialização são três:

Podem concorrer os detentores de uma licenciatura que não tem de ser necessariamente em Ciências da Comunicação. Os critérios de selecção compreedem parâmetros relacionados com a formação académica, a experiência profissional (nomeadamente na área do mestrado) e experiência cientifica (participação em projectos de investigação, publicações, etc).
O curso tem a duração de dois anos (quatro semestres), sendo que os últimos dois são ocupados com um estágio e a elaboração de um relatório ou dissertação. O estágio tanto pode ser feito numa empresa ou serviço como num projecto colectivo de investigação da área de especialização do mestrado.
Os dois primeiros semestres são ocupados com actividades lectivas que decorrem três dias por semana (de segunda a sexta), entre as 18 e as 21 horas, no campus de Gualtar da Universidade do Minho, em Braga. As unidades curriculares incluem matérias de cunho teórico e prático-laboratorial.
As candidaturas são feitas por via electrónica, nos Serviços Académicos da Universidade do Minho, devendo a documentação de comprovação ser enviada por correio ou entregue pessoalmente.
A este mestrado podem concorrer também detentores de um currículo escolar, científico ou profissional, que seja reconhecido como atestando capacidade para realização deste ciclo de estudos pelo Conselho Científico do Instituto de Ciências Sociais.
As instruções para a candidatura podem ser consultadas AQUI.

Silêncios e ruídos de Agosto

E se, nos meses de Agosto, se reduzisse as redacções a um piquete para emergências ? Uma espécie de serviços mínimos, com edições no ar ou no papel só se houvesse justificação especial? Os jornalistas podiam ir de férias. Poupava-se energias, descansavam as mentes.

Brincadeira? Sim, até certo ponto. É verdade que, pelo menos nos últimos vinte anos, volta e meia há uma guerra ou algum conflito para animar Agosto. Se não é na Rússia é no Líbano ou na Geórgia. Ou é o ‘combate’ aos incêndios. Mas, fora isso, que, mesmo assim, é puxado e ampliado até à exaustão (sem necessariamente a informação crescer em igual medida), era uma óptima ocasião ao menos para reduzir o gasto do papel e fazer telejornais de meia hora.

Este Agosto trouxe-nos um tema interessante: o silêncio. A líder da oposição entendeu que nos devia deixar sossegados e logo se levantou, dentro e fora do partido, um ruído enorme por causa do silêncio dela. Mas quando, em nome dela, alguém falou, foi para, por sua vez, verberar o silêncio do primeiro-ministro.

Ao mesmo tempo, nos Jogos Olímpicos de Pequim, falava (nos media) o silêncio das medalhas. E para lhe responder, vinha o ruído das declarações dos atletas, cada qual a mais ruidosa ou motivadora do mediático ruído.

É assim que, nos media, até o silêncio é ruído. E – paradoxal – continua a faltar o verdadeiro silêncio, aquele que deixa ouvir o que a vida, a natureza, os acontecimentos têm para nos dizer.

Tendências na audiência de notícias

“Audience Segments in a Changing News Environment” : já tem uns dias e já vários blogues se referiram a este estudo do The Pew Research Center for the People & the Press, dos Estados Unidos, mas os dados merecem ser registados e analisados, pelo que podem indiciar no terreno das tendências. É certo que, tal como o jornalismo, também a relação de cada sistema social com as notícias é contextual e específico, mas também é verdade que os efeitos da pertença a um espaço global se fazem sentir.
Ficam aqui apenas três tabelas das muitas que o estudo publica.

Figure

FigureFigure

Leituras

Alguns textos recentes que achamos interessantes e que podem interessar a algum leitor:

Sage: acesso livre para estudos culturais

A Sage disponibiliza até ao final de Setembro livre acesso a 13 das suas revistas científicas da área dos “cultural studies”, segundo acaba de anunciar a própria editora.

O registo pode ser feito aqui.

Os títulos agora disponibilizados são os seguintes:

  • Body & Society
  • Crime, Media, Culture: An International Journal
  • Cultural Geographies
  • Cultural Studies & Critical Methodologies
  • European Journal of Cultural Studies
  • French Cultural Studies
  • International Journal of Cultural Studies
  • Journal of Consumer Culture
  • Journal of European Studies
  • Journal of Visual Culture
  • Media, Culture & Society
  • Space and Culture
  • Theory, Culture & Society .