Busca da verdade

“(…) Em 1860, primeiro aniversário de lançamento de A Origem das Espécies, livro onde Darwin expôs seus pontos de vista, a Sociedade Britânica para o Progresso da Ciência – entidade que inspirou a criação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em 1948 – organizou uma de suas reuniões anuais.

No encontro, Thomas Henry Huxley (1825-1895), considerado o maior defensor das idéias de Darwin, ouviu do bispo de Oxford, Samuel Wilberfoce, a petulante pergunta com pretensões de cientificidade: “É por parte de seu avô ou sua avó que o senhor descende de um macaco”?

Huxley, um dos mais importantes conferencistas de sua época, futuro presidente da Royal Society, não se perturbou. Disse que entre ser parente de um homem importante em assuntos da igreja e do Estado, mas determinado a ridicularizar quem buscasse a verdade, e um macaco se arrastando na jaula, mas que representasse o milagre e o mistério da natureza, não teria dúvida em optar pela segunda alternativa.

Foi quando a mulher do bispo sussurrou para os mais próximos: “Ora esta, agora, descender de macacos. Mas, se for verdade, oremos para que ninguém saiba disso”.

Ulisses Capozzoli in Observatório da Imprensa