Futuro dos jornais e do jornalismo

O futuro dos jornais” é a tradução para português, de um texto originalmente publicado na revista New Yorker por Eric Alterman, professor da Universidade de Nova York. A versão foi feita e publicada há dias pela Folha de São Paulo e é reproduzida na mais recente edição do Observatório da Imprensa.
É aí que Alterman retoma os termos do debate dos anos 20 entre Lippman e Dewey para se referir aos desafios da blogosfera ao jornalismo. E é também aí que deixa a pergunta: “A internet conseguirá lançar a mesma ‘luz’ sem os exércitos de jornalistas e fotógrafos que os jornais tradicionalmente empregaram? É uma questão a que talvez os democratas mais ardentes não queiram responder”.

Neste contexto, sugiro também a leitura de Il giornalismo dopo internet: un mestiere “al ribasso”?, post de Pino Rea no LSDI (Libertà di Stampa, Diritto all’Informazione), remete para uma recensão do livro “Le journalisme après internet” de Yannick Estienne, recentemente lançado em França. Nele é traçado um quadro preocupante das condições e da lógica predominante do webjornalismo neste país e se procede a uma análise da “astúcia da razão participativa” que leva a recuperar, instrumentalizando-a, a cultura libertária do “citizen journalism”.

Anúncios