Quando os gatekeepers decidiam sozinhos

“Antigamente era esperado que ficássemos sentados quietos e deixássemos os gatekeepers [editores e outras pessoas com funções de selecção de notícias] decidir o que devíamos ver, o que devíamos pensar e o que devíamos fazer. Hoje a tecnologia permite que tomemos conta das nossas próprias vidas – quer seja através de blogues, de podcasting, das redes sociais, de sites como o My Space ou o Facebook, de wikis ou do YouTube. As pessoas estão rapidamente a adoptar uma miríade de tecnologias da informação que estão a emergir da Internet e estão a utilizá-las para se tornarem participantes activos na cultura.”

“Somos a primeira geração a ter acesso directo e individual ao mundo e às tecnologias emergentes. Somos a primeira geração a ultrapassar os antigos gatekeepers para comunicar com as massas – é disso que se trata, comunicar com os outros. E não deixamos que alguém filtre ou altere ou censure estas comunicações.”

Markos Moulitsas Zúniga, citado por Clara Coutinho, in Público – P2, 6 de Junho de 2008