Reflexões

«Porque é que a TV foi essa “caixinha que revolucionou o mundo”? Faço a pergunta e as respostas vêm em turbilhão. Fez de tudo um espectáculo, fez do longe o mais perto, promoveu o analfabetismo e o atraso mental. De um modo geral, desnaturou o homem. E sobretudo miniaturizou-o, fazendo de tudo um pormenor, misturado ao quotidiano doméstico. Porque mesmo um filme ou peça de teatro ou até um espectáculo desportivo perdem a grandeza e metafísica de um largo espaço de uma comunidade humana. (…) Mas a TV é algo de minúsculo e trivial como o sofá donde a presenciamos. Diremos assim e em resumo que a TV é um instrumento redutor. Porque tudo o que passa por lá chega até nós diminuído e desvalorizado no que lhe é essencial. E a maior razão disso não está nas reduzidas dimensões do ecrã, mas no facto de a “caixa revolucionadora” ser um objecto entre os objectos de uma sala. Mas por sobre todos os males que nos infligiu, ergue-se o da promoção do analfabetismo. (…) A TV dispensa tudo. (…) … na TV dá-se tudo de uma vez sem nós termos de trabalhar. Mas cada nossa faculdade, posta em desuso, chega ao desuso maior que é deixar de existir.»

Vergílio Ferreira, Escrever, pp. 23-24

Anúncios

One thought on “Reflexões

  1. Chamo-me João Paulo, fiz o Mestrado aí na UM, na área da educação – tecnologia educativa.
    Gostaria de apelar à vossa reflexão sobre um acontecimento de hoje:
    O Expresso online está a dar nota de uma situação ocorrida numa escola do Porto,onde os alunos, com um telemóvel, gravaram uma cena de violência perante uma Professora.

    Isto leva-me a levantar várias questões:

    1. Deve ou não o vídeo ser divulgado? Está no youtube e de acesso generalizado, mas devem os órgãos de comunicação social “tradicionais” ampliar o efeito?

    2. Que papel terá o telemóvel (com vídeo) na divulgação das situações várias do nosso quotidiano? É uma “realizador” em cada um de nós? Ou um big brother?

    Obrigado e parabéns pelo vosso blog.
    JP

Os comentários estão fechados.