ERC clarifica…ou não…

A edição de ontem do Clube de Jornalistas – com a presença do presidente da ERC, Azeredo Lopes – mostrou-nos um responsável pelo órgão regulador absolutamente tranquilo na presença de dois jornalistas (mais um, Nicolau Santos, do que outro, Fernando Cascais) tão seguros da sua posição que nem sequer sentiram a necessidade de trazer a conversa preparada. Exemplos mal escolhidos, factos truncados, desconhecimento das competências da ERC e desconhecimento da realidade da regulação noutros países – de tudo foi possível ver um pouco.
A ERC pode ter tido, em 2007, momentos de excesso, mas nenhum dos dois jornalistas foi capaz de os apresentar de forma fundamentada.
A ERC pode ter aberto, em 2007, um precedente sério – com a deliberação sobre a queixa da CDU relativamente ao site da Câmara Municipal do Porto – mas nenhum foi capaz de passar além da boutade “parece que até quer regular a blogosfera!”.
Aliás, a este propósito, Azeredo Lopes conseguiu dizer mesmo que o acompanhamento dos blogs não está dentro das competências da ERC e nenhum dos dois jornalistas foi capaz de o confrontar com as implicações concretas da leitura que a entidade apresentou na dita deliberação (ver aqui).
É muito pouco para jornalistas tão respeitados e conceituados e é muito pouco para sinalizar a necessidade imperiosa de um acompanhamento sério da actividade do regulador.
Ontem ficou bem claro a todos os que viram o programa que – como indica Manuel Pinto no balanço de 2007 – “uma mera contestação reactiva, que não passa a um patamar de auto-organização e definição de regras entre parceiros, só pode redundar em inconsequência e em reforço da lógica hetero-regulatória”.

Anúncios

3 thoughts on “ERC clarifica…ou não…

  1. Concordo quase plenamente com o seu post. Apenas discordo com o que diz sobre a segurança da posição dos dois jornalistas – e mais sobre a de Nicolau Santos; parece-me completamente ao contrário, ou seja, revelou uma completa insegurança de posições e de argumentos; revelou ignorância, quase má fé em certos momentos, e sobretudo pouca humildade na abordagem ao seu entrevistado que tratou como “oponente”.
    Para onde irá a comunicação social em Portugal se confiarmos simplesmente na auto-regulação de jornalistas assim?

  2. regular regular regular…. mas o que é que vocês querem regular afinal? a minha opinião? nem que esta seja oficialmente surrealista e que se quiser denegrir a pseudo-imagem do Cristiano Ronaldo ou do Vital Moreira não posso é? Eu acho que esses dois já foram para a cama com bovinos! Ficam ofendidos é? Palavras de burro não chegam ao purgatório né? Ou preciso de fazer marionetas dos marretas para me concederem a liberdade de lhes mandar as directas todas que me apetecer? Não compreendo a geração passada e futura de pessoas que se ofendem por ninharias tão pré-pubertárias… experimentem verem de perto os vossos demónios, esta sociedade de pressa, café e alcóol e working class wannabe rich, boss and famous esqueceu toda a sua metafísica… e é triste ya, regulem-me toda à vontadinha oh filhinhos, uma gotinha do que eu cá sei e vocês veriam quem tem razão…

    http://www.motoratasdemarte.blogspot.com

    pessoas que cortam o próprio pénis andam por aí na internet e todos os vossos filhos independentemente da idade devem conhecê-lo, tal como ter acesso a canais porno, a TUDO! a verdade é só uma e quanto mais a tentarem esconder mais a incentivam, e com décadas disto continuam a cometer os mesmos berrinhos…

  3. Completamente de acordo!
    Perdi parte do programa, mas ainda percebi que o Presidente da ERC deveria estar a contar com mais “desconforto”.
    Só não tenho a certeza que tenha havido falta de preparação, pois, a mim pareceu-me mais “ânsia de acertar contas”.
    Saudações!

Os comentários estão fechados.