‘Back to basics’ = ‘back to ethics’

Já está disponível online o texto da comunicação que Joaquim Fidalgo apresentou, em Julho passado, na conferência da IAMCR, em Paris, intitulada What is journalism and what only looks like it? Re-defining concepts, roles and rules in the wide field of communication. Nele o autor reflecte sobre o caso, tratado pelo provedor do leitor do Público, das crónicas que aquele jornal publicou como sendo trabalhos jornalísticos, em Janeiro de 2006, a propósito da cobertura do rali Lisboa – Dakar, quando, de facto, haviam sido encomendadas e pagas por uma empresa externa que fazia publicidade nas mesmas páginas em que a matéria jornalística tinha sido publicada.

O argumento do artigo pode resumir-se neste excerto do resumo:

“In this paper (…) [w]e argue for the need of a kind of back to basics effort, meaning specificaly back to ethics, under the assumption that, particularly in our digital environment, the line defining the boundaries of journalism (and, therefore, distinguishing journalism from other forms of public communication) is not a matter of ‘who’, ‘what’ and ”where’ things are done, but rather a matter of ‘how’, ‘whay’ and ‘what for’ you do them”.

Anúncios