“Não vamos discutir isso”?

Na entrevista feita pelo DN a Mário Soares deixa-se em aberto um tema (recorrente) que não deveria ficar na gaveta. É enunciado assim:

DN – E hoje, o PS?
MS – Bem, hoje o PS está perante uma invasão e uma pressão enorme, não da direita política – que neste momento, representa, infelizmente, pouco… Eu gostaria que a oposição, sobretudo a do PSD, fosse uma oposição forte e coerente, porque isso é útil para um partido de Governo como o PS, sobretudo tendo maioria. Mas a pressão vem do lado direito… Dos interesses, de toda a imprensa, de toda a opinião. A opinião que a imprensa procura fazer vem sempre do lado direito. Se vir hoje, não há nenhum jornal que veicule as ideias da esquerda em Portugal, o que é triste.

DN – A sua opinião sobre a imprensa é curiosa porque é normal ouvirmos políticos de partidos de direita dizer que a generalidade da imprensa é de esquerda. Por isso, a sua opinião aqui é curiosa…
MS – Se calhar alguns dizem isso porque acham que não é suficientemente de direita [risos].

DN – Bom, mas não vamos discutir isso…
MS – [Risos] Não, não vamos, vocês ficariam mal se discutíssemos isso…

Anúncios

2 thoughts on ““Não vamos discutir isso”?

  1. Mário Soares ao seu melhor estilo (prepotente).

    Se a imprensa em Portugal é de “direita”? Bem, antes fosse, mas não creio. Talvez fosse bom, isso sim, a imprensa passar a assumir mais às claras a sua “cor política”. Todos ficariam a ganhar com isso. Mas isto é só a minha humilde opinião.

    Quanto à minha opinião sobre Mário Soares, bem, ultrapassa mais do que a simples opinião. É o bom-senso, uma mera constatação de facto. Ainda bem que já não estamos em 1980, se não ainda me arriscava a ir parar aos calabouços de uma qualquer prisão por “chamar nomes feios” ao “vulto” Mário Soares.

  2. O comentário de António Filipe é absolutamente obtuso ! Essa de ir parar a uma prisão por chamar “nomes feios” ao “vulto” Mário Soares … em 1980 !!! Vc tem alguma memória de 1980 ? E já agora crescento a minha opinião : o facto de não “irmos discutir agora isso” é elucidativo ! Lentamente, o chamado pensamento neo-liberal passou a controlar uma boa parte dos media portugueses. Faz parte da sua estratégia manter a ideia de que quem está lá dentro ainda são os jornalistas entusiasmados com a revolução de Abril. Claro que não são. O discurso que passa pelos media nacionais, só não é neo-liberal quando faz a agulha para o populismo … que é uma outra forma de o manter encoberto. Particularmente, quando se trata de opinião e comentadores da área económica há uma só verdade.
    Para além disto, o que António Filipe sugere (a imprensa passar a assumir mais às claras a sua “cor política”) é absolutamente impossível. Parece-me que este comentador ainda está no tempo do controlo partidário junto dos jornais ! Onde isso vai … Agora, o controlo é muito mais difuso (aparentemente), mas também muito mais eficaz. E triste …

Os comentários estão fechados.