“Infância, Cidadania e Jornalismo”

Decorre amanhã e depois na Fundação Calouste Gulbenkiano, em Lisboa, o I Seminário “Infância, Cidadania e Jornalismo”, tendo como um dos objectivos “tornar públicos os resultados do projecto de investigação “Crianças e Jovens em Notícia”, coordenado pela Prof. Cristina Ponte.

A iniciativa propõe-se também promover “o diálogo entre jornalistas e investigadores que têm trabalhado questões da infância em áreas como a Sociologia, a Psicologia, a Educação, o Direito, a Economia, envolvendo nesse debate também profissionais com experiência no terreno e incluindo as perspectivas de crianças e jovens”.

A investigação coordenada por Cristina Ponte, Professora da Universidade Nova de Lisboa, e por uma equipa multidisciplinar, analisou mais de seis mil itens noticiosos de jornais e TVs portugueses do ano de 2005, que abordavam temas como educação, situações de risco social, saúde, assistência, segurança, entre outros.

O Seminário será também pretexto para o lançamento de um novo número da revista Media e Jornalismo, do centro de investigação do mesmo nome, e dedicado ao tema “Crianças, Media e Cidadania”. O respectivo índice pode ser consultado AQUI.

Anúncios

Jornalistas convidam a acelerar

Na coluna da edição de hoje, Rui Araújo, o provedor do leitor do Público, publica transcrições da mensagem recebida de um leitor, nas quais jornalistas do jornal escrevem sobre as características de algumas marcas de carros, recorrendo a expressões como: “Ao volante deste (…), às malvas os limites de velocidade, a condução certinha, a poupança de combustível e a capa de menina bem comportada e mãe de família responsável!” ou “Para os atrevidotes kitados que gostam de cheirar a traseira alheia basta pisar a fundo e vê-los desaparecer pelo retrovisor“. O provedor nem considerou necessário ouvir os visados ou o director. “É desnecessário epilogar”, observa.
Não o sigo quando escreve que este tipo de escrita “é opinião, não é jornalismo”, visto que entendo que a opinião, incluindo a do provedor, também faz parte do jornalismo. Mas subscrevo o seu ponto de vista, a propósito desta matéria, de que “a imprensa deve (…) promover uma cultura de cidadania”.

Provedor põe fim a mandato

Rui Araújo anuncia, num post scriptum do seu texto de hoje, ter antecipado em um mês o fim do mandato. A edição do próximo dia 25 será a última a contar com a sua colaboração. “É uma opção pessoal”, escreve o provedor.

Leituras