“É chegada, dizem-me, a hora de partir”

JFJF despedida

Ninguém pode esperar eternizar-se num qualquer sítio, porque tudo é passageiro. Mas a coluna do Joaquim Fidalgo tem sido – era? – um dos espaços de respiração do Público. Nos assuntos, no registo de abordagem, na qualidade da escrita. Um exemplo de crónica.
Ignoro (escrevo, surpreendido por este parágrafo final da coluna de hoje, às 2 da madrugada) ignoro, dizia, os motivos invocados para levar JF a dizer discretamente ‘até logo’ aos leitores. Dizem-lhe que é chegada a hora de partir.
Lamento muito que assim seja. Julgo não ser o único.

Mas, que diabo, será este um assunto que apenas à Direcção do Público diz respeito? E aos leitores do jornal ninguém deve explicação? Eu, que pago a assinatura, gostava de a ter.

(Crédito da foto: PÚBLICO)

Anúncios