Responsabilidades do jornalismo

Eugénio Bucci tem vindo a publicar, nas últimas semanas, no brasileiro Observatório de Imprensa, uma série de artigos sobre questões actuais do jornalismo e a liberdade, que vale a pena compendiar. Bucci é doutorado em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo e autor de alguns livros, entre eles Sobre Ética e Imprensa (São Paulo: Companhia das Letras, 2000) e foi presidente da Radiobrás entre 2003 e 2007. Eis os links para os textos:

Da mais recente peça, sobre a formação contínua de jornalistas, destaco:

Persiste em parte das redações, ainda, a tristonha presunção de que o jornalismo se faz e se aprende “na prática”: se o sujeito leu uns livros bons, tem vocabulário acima do comum, é curioso e esperto, vai brilhar. Assim é que esse ofício se firmou e se reproduz, com base na ilusão de auto-suficiência. Talvez ela bastasse até meados dos anos 1970, mas hoje é apenas vã. O jornalismo, como as demais atividades, impõe a seus praticantes que estudem.

É verdade que temos jornalistas notáveis que nunca foram à universidade, assim como, no passado, também tivemos bons dentistas que não tinham diploma. Ainda hoje, aliás, há parteiras no interior que, sem ter passado pela faculdade, trazem crianças ao mundo. Não se pode mais pretender, porém, que a imprensa atinja bons níveis sem ter pontes com a pesquisa e com a capacitação aprofundada. Estudar com método, se já não era no passado, é no presente parte integrante da responsabilidade social do jornalista.(…)

Anúncios