Na morte de Claude-Jean Bertrand

Faleceu Claude-Jean Bertrand, professor jubilado da Universidade de Paris II, há muitos anos dedicado à investigação e divulgação de sistemas de responsabilização dos media.

Um defensor do papel sócio-cultural e político dos meios de comunicação, Bertrand entendia que nem o Estado nem o Mercado poderiam assegurar, por si mesmos, a qualidade desses meios. “Os dois são indispensáveis, mas ambos são perigosos. E não podemos esperar que um neutralize o outro”, escreveu num dos seus livros.
Onde vê ele,então, um caminho de solução? Nos sistemas de responsabilização dos media (MAS – de Media Accountability Systems), tais como os códigos de conduta, os provedores, a informação e crítica sobre os media, a investigação científica, os conselhos de Imprensa, a alfabetização mediática…. Instâncias, que podem, pelo menos em alguns casos, juntar profissionais dos media e utilizadores/membros da audiência.

“É necessário – escreveu ele no prefácio de um dos seus livros, em 2002 – que os cidadãos activos que desejam melhorar este serviço público crucial que são os veículos de comunicação, que os futuros jornalistas actualmente nos bancos escolares, que os jornalistas em actividade submetidos frequentemente a pressões ilegítimas, que os patrões da mídia conscientes da rentabilidade de uma mídia de qualidade, saibam que existe todo um arsenal de armas pacíficas, capazes de garantir ao mesmo tempo a liberdade e a excelência dos meios de comunicação”.

Em Portugal, Claude-Jean Bertrand tem publicado o seu livro A Deontologia dos Media, pela Coimbra-Minerva (2001). No Brasil, vários dos livros do autor estão traduzidfos em português.

Anúncios

4 thoughts on “Na morte de Claude-Jean Bertrand

  1. Pingback: Estranheza « Jornalismo e Comunicação

  2. Pingback: Manuel Pinto informa de la muerte de Claude-Jean Bertrand » eCuaderno

  3. O mundo sem Bertrand é uma lacuna que nós deixa sem o grande pai e defendor das grandes mídias de qualidade, responsabilidade e consciência, afinal deixou explemplos como deve ser e conter com a participação dos jornalistas, público assim como a liberdade de expressão a auto regulamentação que devem ser feitas entre os veículos de informação sem que haja controle do poder e troca de favores assim como outros escapes que possa fugir do controle da sociedade.

Os comentários estão fechados.