“Uma lista infindável”

“Poderia fazer uma lista infindável das coisas que não consigo perceber, decerto incomparavelmente maior do que a daquelas que julgo (pelo menos em dias de euforia) que percebo. E ainda ficaria outra, tão grande e absurda como a primeira, de tudo aquilo que ignoro que ignoro. Resta muito pouco. E contudo é com esse pouco que tenho que ver cegamente o mundo (e é provavelmente com esse pouco que o mundo me vê a mim)(…)”.

Manuel António Pina, “O riso e o medo“, in Jornal de Notícias, 31.5.2007 (continuação do texto aqui)