Breves

De MarK Glaser, no MediaShift:

E ainda, no Google Blog:

Anúncios

“A Agência Lusa contactou…”

Na peça “Ministra reforça humanísticas“, o JN de hoje dá conta da intenção do Governo de reforçar a carga horária de várias disciplinas do Ensino Secundário, já a partir do próximo ano lectivo, para aumentar as vertentes prática e experimental dos cursos científico-humanísticos”. Cita, como fonte principal, um comunicado do Ministério da Educação. E remata a peça da seguinte forma:

“A Agência Lusa contactou o Ministério da Educação para obter mais esclarecimentos sobre as alterações a estes cursos, mas tal não foi possível em tempo útil (…)”.

É caso para perguntar: e o JN que fez? Aparentemente, esperou pelos resultados das diligências dos jornalistas da Lusa. Um caso pode ser apenas isso: um caso. Oxalá não seja um sintoma.

Actualização: O trabalho da Lusa foi difundido ontem, já perto das 19:30, e motivou uma peça no Público- Última Hora. Comparando o trabalho publicado num jornal e noutro, concluem-se duas coisas interessantes: o Público on-line retirou a informação sobre a diligência que, naquela altura, a Lusa tinha em curso, ao passo que o JN, que só hoje vinha para as bancas, manteve a referência ao facto. Em contrapartida o JN corrige um erro de português – de resto muito comum – que, aparentemente, viria na peça da Lusa [mas que não pude verificar], erro esse que é plasmado no site do Público [o trecho em causa é o seguinte: “Reforça-se também a carga horária em várias disciplinas para viabilizar as respectivas componentes prática e experimental”, limita-se a anunciar o ministério, em comunicado, sem indicar de que disciplinas se tratam].