Nelson Traquina sobre exercício do jornalismo- sociedade deveria exigir formação superior

JornalismoSob o título “Jornalistas não ligam para a teoria“, o Observatório de Imprensa, do Brasil, publica hoje uma entrevista de Mozahir Salomão com Nelson Traquina, professor na Universidade Nova de Lisboa, na qual este catedrático defende como desejável um diploma de estudos superiores para exercer o jornalismo. No entanto, tal meta deveria resultar menos da imposição legal e mais da exigência da sociedade, acrescenta.

Um outro tema abordado na entrevista é o do futuro da imprensa e do jornalismo. “Como não tenho 20 anos de idade – observa Nelson Traquina – quero acreditar que a imprensa vai continuar existindo no futuro. Mas tenho que reconhecer que hábitos de leitura que existiam há duas décadas, hoje não existem mais. Percebe-se o afastamento do jovem do hábito de ler jornais e isso deve ser um alerta sobre o futuro do jornal impresso. Isso me deixa preocupado, ou seja, a falta de hábito de leitura entre os jovens”.

Mas não basta constatar o afastamento dos mais novos da leitura. É preciso interrogar os porquês desse afastamento, entende o professor: “Temos que tentar melhor compreender as barreiras, o que faz com que as pessoas não leiam. E ainda não se descobriu uma estratégia para despertar o interesse dessas pessoas, ativar leitores. Não temos uma boa compreensão desse fato e isso me preocupa bastante”.

Nelson Traquina acha que os jornalistas ainda se dedicam pouco a estudar jornalismo e a ler o que sobre ele se investiga, mas também considera que “há pouca troca de contribuições entre as pessoas que estudam jornalismo e as pessoas que, no dia-a-dia, fazem as notícias” e que “o jornalismo oferece, geralmente, bem mais do que se costuma identificar e reconhecer nele”.

Anúncios