Leituras sobre o futuro da Imprensa

A edição nº 97 da Chasqui, Revista Latinoamericana de Comunicación do Centro Internacional de Estudios Superiores de Comunicación para América Latina (Ciespal), com sede em Quito, Equador, inclui, nomeadamente, os textos seguintes:

One thought on “Leituras sobre o futuro da Imprensa

  1. A imprensa escrita, em profunda fase de transformação – ou morte -, deverá tomar consciência imediata da cristalização em que os seus quadros gestores caíram. Formatados ainda para a visão Guttenberg – já esbatida pelo tempo – do modelo jornalístico, falta-lhes repensar a actividade tomando como elemento participante o cidadão presente, interventivo e editor/produtor pessoal da sua informação, alimentando frequentemente, com conteúdos ricos em interesse e originalidade, páginas, blogs e comunidades electrónicas. Será assim tão complexo verificar que o “citizen journalism” é já uma realidade inegável? Será ousado pensar em jornais multimedia cujos leitores fornecem uma boa cota parte dos conteúdos que lêem? Não me parece. Parece-me sim que uma parte decisiva das estruturas produtoras de informação – os colaboradores – têm nas suas mãos actividades e projectos electrónicos 10 vezes mais avançados do que o melhor projecto do editor ou corpo gerente: salvem-se as execpções, desta acusação.

Os comentários estão fechados.