“Jornadas do Quinto Poder” em França

5emepouvoirPremières journées du 5e pouvoir“. Assim se intitula a jornada que hoje decorre nos arredores de Paris, por iniciativa do site jornalístico de cidadãos Agoravox. Preparado ao longo dos últimos meses de forma participada, o evento centra-se na reflexão sobre o papel do “jornalismo de cidadãos” e na sua relação com os media tradicionais. Mas, acima de tudo, pretende fazer um balanço de ano e meio de existência.

Agoravox reivindica cerca de dez mil redactores e o site passou já a ter uma versão em inglês e, mais recentemente, uma versão em vídeo. Ainda assim, a esmagadora maioria dos contributos publicados é constituída por análises e comentários dos assuntos tratados pelos grande media.

Entre os temas do programa dos trabalhos de hoje destacam-se os pontos seguintes:

  • Journalisme citoyen et 5e pouvoir, enjeux et perspectives
  • Blogs et médias citoyens : alternatives efficaces contre la censure ?
  • Web2.0 : la technologie favorise t-elle réellement la prise de pouvoir du citoyen?
  • Micro-pouvoirs : les blogs au service d’une résistance locale ?
  • Interactions entre médias traditionnels et médias citoyens
  • Présidentielles 2007 : l’irruption des internautes dans la campagne
Anúncios

Prioridades da Igreja no campo dos media

O Conselho Pontifício para as Comunicações Sociais definiu recentemente a formação como uma das grandes prioridades da acção da Igreja Católica no campo dos media. Numa mensagem enviada à Comissão para os Meios de Comunicação dos Bispos da Europa, que se realiza até amanhã no Santuário de Notre-Dame de Laus, Gap (França), citada pela agência Zenit, o Conselho define as prioridades em pontos como:

  • “Formação na comunicação e meios de comunicação, e treinamento para seminários, professores, seminaristas, clero, religiosos e leigos;
  • Educação nos meios de comunicação para todas as idades em todas as escolas;
  • Melhorar a presença na Internet (educação à distância, imprensa virtual, blogs, vídeo, livre acesso);
  • Estudar e utilizar melhor as linguagens dos meios de comunicação, em contínua evolução, com uma sensibilidade particular pelas culturas locais (inculturação);
  • Promoção das rádios locais”.