Seminário de doutoramento em jornalismo

O Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade da Universidade do Minho, através do projecto de investigação Mediascópio, inicia hoje, em Braga, um seminário permanente de doutoramento, centrado nos estudos jornalísticos.

A sessão de hoje será dinamizada por Sandra Marinho, que tem em curso uma investigação sobre “A qualidade no ensino do jornalismo”. O texto de referência do seminário é um artigo de Mark Deuze, “What is journalism? Professional identity and ideology of journalists reconsidered”, publicado na revista Journalism Vol. 6(4): 442–464 , 2005.

Anúncios

A maioria do país não vê televisão?


Este é um retrato do país, no que diz respeito à audiência de televisão por canais, segundo os dados da Marktest, publicados no Anuário de Media e Publicidade 2006. Se é verdade, como diz a nossa empresa de audimetria, que “em 2006, os portugueses viram, em média, 3 horas e 30 minutos de televisão por dia”, e que, por outro lado, a audiência média (calculada sobre o universo dos indivíduos a partir dos quatro anos) nem no prime time chega aos 40 por cento, não há aqui uma ou duas conclusões que parecem óbvias e de que quase ninguém fala? Uma, pelo menos, é certa: para se chegar à média de 3 horas e meia por dia, os que vêem não podem deixar de ver muita TV. Consola-nos um outro dado que também nunca é referido: todos estes números referem-se a “televisão ligada” e não a “televisão efectivamente vista”. Como pude comprovar com as audiências mais jovens, sem esta distinção não se percebe nada de audiências televisivas.