“Em Portugal praticamente não se consegue…”

“Em Portugal praticamente não se consegue ver um telejornal que não seja uma espécie de conjunto de sketches de filmes policiais, de catástrofes e de acidentes. Por que é que os “media” se concentram tão obcecantemente nessa triste faceta, de que é importante estar consciente, mas que obscurece tanto do conjunto do país e do que nele de bom se produz e faz?
Não há alegria e felicidade em Portugal?
Não há ninguém que estude este fenómeno, que parece representar grave “depressão colectiva”, já anunciada pelas inúmeras bandeirinhas nacionais há anos colocadas em todas as janelas?
Não são as notícias ou os factos em si, é a sua repetição obsessiva que revela qualquer coisa de insano, de poluído, no país, pelo menos no país que alguns “media” julgam que é aquele que os portugueses querem ver. (…)”[Continuar a ler: aqui]
Vítor Oliveira Jorge, poeta, professor, arqueólogo, no seu blogue Trans-Ferir.