Quando o online é ‘prateleira’

Na notícia “Manuela fala, fala“, do Correio da Manhã, sobre o depoimento de Manuela Moura Guedes no Tribunal de Trabalho de Setúbal, a propósito de um conflito interno na TVI, corre-se o risco de não ler como termina a peça:

[Das cinco jornalistas da TVI que são testemunhas de um colega transferido de secção]” (…) Todas afirmaram que trabalhar no departamento On-line representa “estar na prateleira e limitar-se a fazer um trabalho de copy-paste”.
Uma das intervenientes manifestou a preocupação por ser testemunha abonatória do colega. “Ao estar aqui arrisco-me a represálias”, desabafou durante a audiência, confessando que não pode estar “em silêncio face às injustiças que são cometidas na Redacção” da Quatro”.