Seminário sobre “Transformações recentes do jornalismo digital”

Elisabeth Saad Corrêa, Professora do Departamento de Jornalismo e Editoração da Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo (Brasil), orienta amanhã, às 14.30, em Braga, um seminário sobre “Transformações recentes do jornalismo digital”. A iniciativa ocorre no âmbito das actividades do curso de mestrado de Ciências da Comunicação – área de especialização em Informação e Jornalismo, da Universidade do Minho. O local é o edifício do Instituto de Ciências Sociais (Sala de Seminários) e a entrada é livre.

Anúncios

O J&C errou

No post anterior perguntava-se se alguém tinha visto a página de Media do Público de hoje.
Tanto eu como dois outros colegas não tinhamos – ao início da manhã – conseguido encontrá-la na versão do jornal disponibilizada online.
Foi, certamente, desatenção.
Foi, de certeza, um erro.
Agradeço a correcção pronta do António Granado (este post só na apareceu mais cedo porque estive a assistir à apresentação de duas teses de mestrado).
Peço desculpa ao Público e aos leitores deste blog.
Aqui fica a página de hoje.

Blog de Campus

Está já online há algum tempo mas só ontem, segundo me dizem os seus responsáveis, adquiriu uma forma e uma presença mais estabilizada – o Blog de Campus do Jornal de Negócios.
É um espaço complementar da secção de Campus, que sai apenas à segunda-feira, e mostra-se aberto a contributos externos.
No (re)lançamento, publica-se uma entrevista que se apresenta como sendo ‘conteúdo exclusivo para o blog’ com o novo presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas, Seabra Santos.
Excertos:

no CRUP, tenho sido uma voz permanente a defender o reforço da capacidade do CRUP e do entendimento das universidades no âmbito do CRUP. Se o CRUP não tiver capacidade para se fortalecer como voz em representação das universidades, então o CRUP desvaloriza-se naturalmente face aos outros autores em jogo.

O enquadramento em que as universidades são postas a jogar é um enquadramento que, manifestamente, promove acima de tudo a concorrência entre elas. A articulação e a coordenação torna-se difícil quando isto acontece. É preciso lutar por essa articulação e por essa coordenação e fazer passar a ideia em que há vantagens em consegui-lo. As universidades, no seu conjunto, fragilizam-se, porque não são capazes de adoptar atitudes em comum no âmbito do CRUP.